Bizarra Locomotiva – Mortuário (Ao vivo no Coliseu)

Mortuário

O rancor chegou
No vazio das mãos
No derradeiro ecoar dos sentidos

Rogo-te a desgraça
Rogo-te o fulgôr
Em furiosos jactos na tua boca erguida

Deito-me nas costas do arrependimento
Cansado de ser evocado

Eunuco sugo a luxúria frívola
Reveladamente diante malícia
Do coaxar das carnes

Tu eu
Pele na pele
Contemplados na seiva doce
Tu eu
Pele na pele
Na chaga viva encrostados

Arrancas-me o caule
Murcho no caminho
Dos tumultos na garganta ensanguentada

Ferozes dentes
Serram à dentada
Aquedutos de esperma na gruta mortuária

Deito-me nas costas do arrependimento
Cansado de ser evocado

Eunuco sugo a luxúria frívola
Reveladamente diante malícia
Do coaxar das carnes

Tu eu
Pele na pele
Contemplados na seiva doce
Tu eu
Pele na pele
Na chaga viva encrostados